Feliz 2014!

Olá meninas!

Sei que estou um pouco em falta com vocês e comigo mesma, pois eu amo esse cantinho.
Gosto muito do blog, que funciona para mim também como uma fonte de estudos, pois sempre antes de falar com vocês sobre qualquer assunto, estudo e pesquiso muito sobre o mesmo.
Esse mês acabei não postando nada porque tive algumas coisas para resolver e por isso não deu para me dedicar ao blog, o que me deixa muito triste.
Mas bora lá, hoje não vim aqui me lamentar e sim desejar a vocês um LINDO, PRÓSPERO, ABENÇOADO e ILUMINADO ano novo, que mais do que desejar você busque realizar.
Que entenda que Deus é seu melhor amigo, e que pode contar com ele sempre!
Vou compartilhar com vocês esse vídeo, a mensagem é linda e nos faz refletir.



LIPOESCULTURA GESSADA®

Olá Meninas!

Já estava com saudades desse nosso espaço, ( que eu amooooo!), mas minha ausência foi e é por uma boa causa.
Quem me conhece sabe o quanto eu amo minha profissão, e desde que minha pequena Pituka nasceu, o meu objetivo era montar um espaço, e graças a Deus as coisas estão se encaminhando.
Por conta disso estou com pouco tempo, mas vou fazer o possível para pelo menos uma vez por semana fazer um post para nós.

Então bora começar...vou falar um pouquinho sobre um tratamento que virou o meu xodó, ( pq claro, antes de fazer em minhas clientes testei em mim) a Lipoescultura Gessada.
Que, apesar de ter no nome a palavra gessada, não utiliza gesso. O termo gessado no uso médico, quer dizer separado, imobilizado.
Acontece que após o uso do produto é preciso usar algo para imobilizar a região que foi tratada, no caso utilizamos uma cinta cirúrgica, dessas mesmo que se usam depois de uma lipo ou uma cirurgia estética.
 
 A Lipoescultura Gessada é uma linha de cosmecêuticos genuinamente ortomoleculares empregados no combate á celulite, gordura localizada e flacidez. Fruto de 20 anos de pesquisa, a linha é patenteada mundialmente.
Não há genérico, similar ou manipulado. Seu xarope é uma preparação especial e exclusiva.
 
Antioxidante por excelência, é o único produto no mundo usado no tratamento da dermatopaniculopatia grave (celulite – graus1, 2, 3, 4), obesidade circulatória, gordura localizada e auxiliar no emagrecimento.
Dependendo da forma como é aplicado, a LIPOESCULTURA GESSADA® pode liberar entre 500 a 1.000 calorias por aplicação nas 48hs seguintes. Tem efeito prolongado não cumulativo e termogênico.
LEORT® desintoxica e regenera as células do organismo, além de modelar o corpo e reduzir medidas, não pela desidratação como ocorre com tratamentos à base de argilas, lamas, fangos, cosméticos, cosmecêuticos e produtos afins, mas pela eliminação da gordura branca e do lixo tóxico (metais pesados).
 
Como Age:
 
A LIPOESCULTURA GESSADA®

- Estimula o metabolismo, para revigorar e modelar o corpo
- Dilata os vasos. Facilita a circulação sangüínea e linfática. - Irriga melhor os tecidos, limpando-os de toxinas.
- Melhora a drenagem linfática natural do organismo, da microcirculação e do retorno venoso, com consequente diminuição da estase dos membros inferiores.
- Melhora a oxigenação do tecido conjuntivo e da hipotonia muscular consequente às alterações das fibras colágenas.
- Aumenta da produção de ATP em até 500% com a recuperação normal de eliminação de toxinas.
- Incrementa o transporte de aminoácidos e a síntese de proteínas com o aumento da tonificação muscular.
- Intensifica a circulação nos plexos vasculares com maior captação de oxigênio local.
- Restauração tissular.
- Normalização metabólica celular.
 
Indicado nos tratamentos de:
 
Gordura localizada;
Perda de medidas;
Modelagem corporal;
Desintoxicação metabólica e orgânica;
Celulite;
Flacidez tissular (coadjuvante)


O tratamento pode ser associado a massagens ( Drenagem linfática, modeladora, etc..), e a aparelhos eletroterápicos,
Eu escolho o método que vou trabalhar após avaliar a cliente, e definir qual o melhor para a necessidade dela.
 
Infelizmente não tenho fotos do antes e depois, e também não acho certo publicar fotos de tratamentos que não foram realizados por mim.

LEORT® é uma preparação farmacêutica atoxica, e possui uma molécula patenteada mundialmente, SEM SIMILAR OU GENÉRICO.



Obs: Só profissionais credenciados podem trabalhar com
LEORT®.

Qualquer dúvida entrem em contato:
Espaço Mais que Estetica
estética.leia17@gmail.com
 
 

Laser


Olá meninas, que os tratamentos estéticos á laser estão com tudo, nós já sabemos( eu acho super máximo rs....como diz meu baby). Afinal ele nos auxilia nos tratamentos de:


Rejuvenescimento
Acne
Hidratação cutânea
Olheiras
Flacidez
Manchas
Celulite
Pós Operatório, entre outros

O objetivo desse post, é entendermos como ele age em nosso organismo.
 

O laser é uma emissão de luz coerente, monocromática, com grande concentração de energia, capaz de provocar alterações físicas e biológicas.
A monocromaticidade se da porque a luz possui um único comprimento de onda que oscila na mesma frequência e consequentemente apresentam uma única cor, diferentemente da luz branca que é formada pela composição de várias cores, onde cada cor corresponde a uma frequência determinada. A coerência da emissão se da devido ao alinhamento das ondas eletromagnéticas no tempo e no espaço. A direcionalidade dos fótons em um só sentido é a coerência de emissão é que possibilitam a elevada concentração de energia, base para a utilização da radiação laser como instrumento terapêutico ou cirúrgico.
Os trabalhos de Karu tentam demonstrar que a fotoestimulação promovida pela radiação laser depende fundamentalmente da monocromaticidade da emissão, observando diversos efeitos em função do comprimento de onda e da dose utilizada.
Não existem fundamentos físicos para concluir que os efeitos observados são devido a coerência da radiação. A influência das radiações luminosas, coerentes ou não, sobre os componentes biológicos atestam que a coerência pouco interfere nos resultados.
O laser de baixa potência tem sido usado desde o final da década de 1960, sendo a sua potência de radiação tão baixa(2 a 30mW) que os efeitos biológicos ocorrem devido aos efeitos diretos da irradiação e não como resultado do aquecimento. O seu poder de penetração não vai além de poucos milímetros, sendo que a sua energia é absorvida nos diferentes estratos da pele. As diferenças entre os equipamentos de laser terapêutico e cirúrgico são várias. Além dos diferentes comprimentos de onda, os quais determinam a sua profundidade de penetração, a potência é um dos fatores que caracterizam a sua indicação, sendo necessária a potência de 1 a 5W para a vaporização dos tecidos superficiais, de 5 a 20W para incisões superficiais e de 20 a 100W para incisões profundas.
As respostas desencadeadas pela radiação laser nos tecidos biológicos estão relacionadas com o cumprimento de onda, regime de pulso e o nível de energia depositado, os quais vão desde os efeitos bioestimulantes até os cirúrgicos.
São vários os autores que relacionam a profundidade da radiação laser com os tecidos biológicos. Todos são unânimes em afirmar que os estratos biológicos são uma grande barreira à penetração da radiação óptica. Em relação as diferentes profundidades, cabe ressaltar que diferentes estudos relacionam a profundidade de penetração com diferentes porcentagens de energia. A radiação laser pode atingir entre 9,7-14,2mm com 1% da energia incidente.
Devido à complexa estrutura dos estratos cutâneos, há uma grande dificuldade na quantificação tanto da absorção quanto da penetração da radiação laser. São quatro os processos que podem estar presentes nos diferentes segmentos cutâneos: a reflexão, absorção, a transmissão e a difusão. A pele absorve cerca de 50% do laser incidente a cada 0,4-1,0mm de tecido.
 
Reflexão: Pode ocorrer na interface entre os diferentes estratos, devido a diferença do índice de reflexão dos mesmos.
 
Absorção: Iniciará um processo bioquímico ou bioelétrico. Absorção da radiação pelos diferentes tecidos dependerá do laser utilizado, uma vez que cada tecido absorve diferentes comprimentos de onda. Isso ocorre porque cada comprimento de onda possui um fototropismo positivo para determinados tecidos. Assim, o laser de HeNe é absorvido preferencialmente por tecidos vermelhos e o de AsGa por tecidos preferencialmente brancos ou translúcidos.
 
Transmissão: É o percurso da radiação nos diferentes estratos.
 
Difusão: Ocorre em parte pelas moléculas, fibras ou células no interior dos estratos. É dependente das dimensões das partículas que formam o estrato em relação com o comprimento da onda em que se emite a radiação.
Embora a radiação laser de baixa potência não tenha capacidade ionizante, isto é, não rompe ligações químicas, a sua propriedade de indução fotobiológica é capaz de provocar alterações bioquímicas, bioelétricas e bioenergéticas nas células.
 
Efeito Bioquímico: A energia absorvida pode atuar de duas maneiras estimulando a liberação de substâncias pré formadas, como a histamina, serotonina, bradicinina ou modificando as reações enzimática normais tanto no sentido de excitação como de inibição. Por outro lado, inúmeras investigações tem confirmado, que a radiação laser exerce um estimulo na produção de ATP no interior das células, originando e promovendo a aceleração das mitoses, podendo também aumentar o AMPc.
O efeito bioquímico, em alguns casos, interferem na produção de certas substâncias como por exemplo as prostaglandinas. É um mecanismo bastante similar a inibição produzida por outros antiinflamatórios. Produção hormonal também pode ser alterada, sendo observado um aumento de T e T em ratas obesas, bem como o aumento da atividade parótida. Com relação à analgesia, ela pode ser explicada em parte pela liberação de β endorfina e serotonina. Finalmente, dentro dos efeitos bioquímicos, deve-se incluir a ação fibrinolítica.
 
Efeito Bioelétrico: São várias as respostas decorrentes da alteração do potencial elétrico. Como efeito principal está a normalização do potencial da membrana atuando como um fator de equilíbrio da atividade funcional celular.
 
Efeito Bioenergético: A justificativa da ação do laser sobre os tecidos biológicos tem sido recentemente dirigida para o estudo das células ou substâncias que respondem a essa forma de radiação. O estudo dos fotorreceptores tem direcionado às pesquisas nas últimas décadas. Eles podem ser divididos em primários(substâncias fotorreativas) e secundários(estruturas que respondem ao campo eletromagnético).
Os efeitos primários podem ser definidos como sendo as respostas celulares decorrente da absorção da energia e os secundários as alterações fisiológicas que não afetam somente a unidade celular, mas sim toda a série de tecido.
Diferentes trabalhos mencionam os efeitos secundários a reparação tecidual; alguns desses efeitos são: aumento do tecido de granulação; regeneração das fibras nervosas; neoformação de vasos sanguíneos e regeneração dos linfáticos; aumento do colágeno após irradiação, das fibras cruzadas do colágeno e da tensão de ruptura; aceleração do processo de cicatrização; incremento da atividade fagocitária dos linfócitos e macrófagos. Nos vários estudos que analisam as respostas celulares e teciduais frente a estimulação de laser a referencias a proliferação de fibroblastos e aumento da produção de colágeno.

Acne



Olá meninas!

Nosso post de hoje é sobre ela a "chatinha" Acne.
 


 

É um afecção crônica, universal, multifatorial, inflamatória ou não, que surge na puberdade, podendo surgir na mulher adulta em endocrinopatias. Caso não seja tratada, pode perdurar por toda a adolescência e se estender a fase adulta. localiza se no folículo pilosebáceo, formado pela invaginação da epiderme que se estende até a derme e abriga a glândula sebácea e o pelo em seu interior.

 
Atualmente acredita se que a causa da acne seja decorrente da interação de alguns fatores:

Obstrução dos óstios (folículos pilosos): Na região do infra infudibulo ocorre uma hiperqueratinização, produzindo um acumulo de células, desencadeando a oclusão do canal folicular.

Produção excessiva de gordura (sebo) na glândula sebácea: A produção excessiva de oleosidade na pele do adolescente é decorrente do rápido aumento dos hormônios andrógenos, principalmente o hormônio testosterona que  estimula a atividade da enzima 5 a - ( enzima responsável pela produção de sebo e esta presente nas células da glândula sebácea e folículo piloso) aumentando a produção de sebo.
Devido a alteração que ocorre no infra infudibulo, nem todo sebo produzido pode ser eliminado, ficando uma parte aprisionada dentro do folículo, este fato desencadeia o aparecimento do comedão fechado e aberto.

Aumento de microorganismos: A produção excessiva de sebo, altera o pH da pele, aumentando a proliferção dos microorganismos, principalmente o P acnes (Probacterium acnes).

Processo inflamatório: Com aumento excessivo da bactéria P acnes ocorre também o aumento dos leucócitos, que por sua vez começam a atacar a bactéria( P acnes) e liberar enzimas que irritam a parede do folículo. O sebo, os restos pilosos  e o aumento dos microorganismos desencadeiam uma reação infecciosa podendo invadir a derme, provocando um processo inflamatório generalizado na derme.
 
A acne é classificada como acne não-inflamatória (sem sinais inflamatórios) quando apresenta somente comedões; e acne inflamatória. A acne conforme o número, intensidade e características das lesões podem ser classificadas em formas clínicas ou graus:




Acne Grau I – Acne Comedogênica
Pele oleosa, comedões abertos e/ou fechados, chamada de acne comedogênica não inflamatória.



 
 
 

 



Acne Grau II – Acne Pápulo Pustulosa
Pele oleosa, comedões abertos e fechados, pápulas e pústulas. Os graus I e II em geral não deixam cicatrizes e são tratados por esteticistas. Chamada de acne pápulopustulosa, inflamatória.
 
 

 
 
 

 

Acne Grau III – Acne Nódulo-Cística
Pele oleosa, comedões abertos e fechados, pápulas e pústulas, nódulos e cistos, inflamatória.
Normalmente exige acompanhamento médico.





 
 



Acne Grau IV – Acne Conglobata
Pele oleosa, comedões abertos e fechados, pápulas e pústulas, nódulos, cistos e abscessos, inflamatória. Conglobata, pois engloba todos os outros graus. O tratamento deve ser indicado pelo médico dermatologista.







Acne Grau V - Acne fulminans
 Uma forma ulcerativa e rara que afeta mais comumente adolescentes do sexo masculino. Tem início agudo associado com sintomas sistêmicos como febre, perda de peso, artralgia, mialgia, eritema nodoso e  hepatosplenomegalia podem ocorrer. Inflamatória, tratada por médico dermatologista.
 
 


Encontrei esse vídeo no youtube, e achei bem didático e de fácil compreensão.
Espero que gostem.
 
 
 
 
 
 

Gordura Localizada

Olá meninas!
O post de hoje é sobre a inconveniente Gordura Localizada.
Inconveniente porque ela insiste em aparecer onde não é chamada rs.... Bora lá!




O que é?

Gordura localizada é o acúmulo de gordura nos adipócitos, células que formam o tecido subcutâneo ou hipoderme. Dividida em duas camadas (superficial e profunda), além de ser considerada a terceira camada da pele, a hipoderme é quem liga frouxamente a pele aos músculos de modo que eles podem se contrair sem repuxá-la.




A gordura corporal feminina é maior que a masculina em qualquer faixa etária e isto se deve a nosso metabolismo complexo, que sofre a influência dos hormônios do crescimento, da insulina, do cortisol, dos hormônios sexuais e tireoidianos.

A gordura corpórea adequada para uma mulher é equivalente a 20-27% do peso corpóreo, sendo que em torno de 12% é denominada de gordura essencial (gordura localizada em regiões específicas, necessária à sobrevivência). A deposição de gordura é controlada geneticamente, sendo diferente entre homens e mulheres. Na mulher, a gordura essencial equivale a 5-9% de gordura específica do sexo feminino, sendo localizada nas mamas, região pélvica e coxas. Já no homem, a gordura corporal equivale 12-15% do peso corporal, sendo que de 4-7% é gordura essencial.
 

 
Existem dois tipos de distribuição de gordura:
 




Ginoide: mais comum entre as mulheres, tem, caracteristicamente a gordura concentrada nas coxas e nas nádegas, é chamada popularmente de formato pêra.

Androide: mais comum em homens,  gordura  localizada mais no abdome, não superficialmente, mas entre suas vísceras, sendo chamada popularmente de formato maçã.

Este último tipo de obesidade abdominal, até mesmo em um indivíduo com peso normal, está mais relacionada às doenças cardiovasculares e, portanto, é motivo de preocupação para os médicos, o que explica o porque, apesar das mulheres serem as maiores vítimas da obesidade, ela determine maiores prejuízos para os homens.


 
Fatores que contribuem para o acumulo de gordura
Para ter uma barriga saudável é fundamental manter o peso adequado à sua altura. A gordura abdominal depende muito de tendências hereditárias, mas também há outros fatores:

  • Comer em excesso, mesmo sem estar com fome.

  • Alto consumo de gorduras saturadas e hidrogenadas. Prefira as gorduras de origem vegetal (óleo de canola ou girassol).

  • Má digestão. Este fator não está definitivamente comprovado.

  • Estresse. O mal do mundo moderno?

  • Má postura e sedentarismo. A falta do uso da musculatura abdominal causa flacidez, favorecendo o acúmulo de gordura na barriga. No caso de hiperlordose (excesso de curvatura lombar), a barriga se projeta para a frente, tornando-se bastante evidente. Nestes casos, a pessoa deverá trabalhar os músculos abdominais e alongar a região lombar procurando, também, observar a postura no dia a dia. Este trabalho também pode ser realizado em sessões de RPG (Reeducação Postural Global).

  • Problemas hormonais. A redução dos níveis de estrogênio, ou o aumento de testosterona, pode contribuir para o aumento da gordura abdominal.

  • Depressão: Um estudo publicado na edição de maio da revista científica Psychosomatic Medicine revela que a depressão está associada ao acúmulo de gordura no abdome. Estudo feito pela Universidade de Chicago, EUA, analisando mais de 400 mulheres acima de 50 anos, observou uma forte associação entre a presença de sintomas de depressão e a gordura visceral, que foi avaliada pelo exame de tomografia computadorizada do abdome. E essa relação era mais significativa entre aquelas com sobrepeso ou obesas.

Tipos de Pele



No século XX, Helena Rubinstein classificou a pele em quatro tipos:



Pele eudérmica (normal): Apresenta secreção sudorípara e sebácea equilibradas, coloração e textura normais, boa elasticidade, boa hidratação e óstios (poros) finos.


Pele alípica (seca): Espessura fina, opaca, pouca oleosidade, sensibilidade ao contato com cosméticos abrasivos, poros pouco visíveis e tende ao aparecimento de linhas de expressão.


Pele lipídica (oleosa): Tem um aspecto brilhante, espessa, tende a lesões como, cravos, espinhas, e millium. Apresenta poros dilatados e hiperatividade da glândula sebácea.


Pele mista: Sua maior característica é apresentação de oleosidade e poros visíveis na região do nariz, testa e mento (zona T). Nas laterais da face apresenta-se normal ou seca.


Desde então essa classificação nos orienta na hora de elaborar protocolos de tratamento mais específicos e eficientes para nossas clientes.  Mas em 2006, depois de estudar 1400 pacientes durante oito anos, a Dermatologista Leslie Baumann, lançou o livro The Skin Type Solution (aqui você encontra como: Pele saudável, a fórmula perfeita para seu tipo de pele). Seu sistema de pesquisa leva em conta quatro características da pele: hidratação, sensibilidade, pigmentação e tendência a rugas.

O sistema Baumann é muito interessante.



Resumo da Tabela de Baumann
Tipos e Características
                                             

Oleosa, sensível, não pigmentada e propensa a rugas.

São as peles difíceis de bronzear, avermelhadas e com poros abertos. As rugas costumam ser precoces. 

Oleosa, sensível, não pigmentada e firme.

É a pele que ruboriza facilmente e as veias do rosto são mais aparentes. E fácil notar manchas vermelhas que descascam, sobretudo em torno do nariz. Neste tipo de pele as rugas costumam aparecer só após os 40 anos.

Oleosa, sensível, pigmentada e propensa a rugas.

É a pele que bronzeia fácil, mas costuma apresentar muita acne e dermatite. As primeiras rugas aparecem já por volta dos 20 anos.

Oleosa, sensível, pigmentada e firme.

Este tipo de pele apresenta alta incidência de acne, geralmente acompanhada de inflamações. É propensa a alergias e, nas pessoas claras, a sardas e manchas de sol.

Oleosa, resistente, pigmentada e propensa a rugas.

Tem aparência lustrosa, com poros largos. A acne é incomum.

Oleosa, Resistente, Pigmentada e Firme.

Mais comum em negros, é a pele que brilha, principalmente em fotografias. Nas peles claras nota-se maior incidência de sardas e manchas.

Oleosa, resistente, não pigmentada e propensa a rugas.

Brilho moderado na face, pouca acne, mas as rugas são precoces.

Oleosa, resistente, não pigmentada e firme.

Dificilmente apresenta manchas, vermelhidão ou ressecamento. O bronzeamento também é difícil devido à falta de pigmentação.

Seca, sensível, pigmentada e propensa a rugas.

Muito fina e seca, apresenta irritações e vermelhidão com muita frequência. 

Seca, sensível, pigmentada e firme.

Pele mais sujeita a eczemas, dermatites e descamações. Muitas vezes pode apresentar manchas ásperas e grossas no rosto e no pescoço.

Seca, sensível, não pigmentada e propensa a rugas.

Ressecada, avermelhada, áspera e sem brilho. A acne é moderada, os vasos são aparentes na face e as rugas são geralmente precoces.

Seca, sensível, não pigmentada e firme.

Pele seca, com descamações, vermelhidão e coceiras. Sujeita a alergias e ao aparecimento de espinhas ocasionais.

Seca, resistente, pigmentada e propensa a rugas.

Sem acne, alergias, irritações ou rugas até os 40 anos. É um tipo de pele que bronzeia facilmente.

Seca, resistente, pigmentada e firme.

Seca, com descamações no rosto e no pescoço. Pode apresentar sarda ou manchas de sol.


Seca, resistente, não pigmentada e propensa a rugas.

Pele muito clara, típica do norte da Europa. Delicada, não costuma apresentar sarda ou manchas.

Seca, resistente, não pigmentada e firme.

É a pele típica de loiros ou morenos claros. O bronzeamento é raro em virtude da ausência de pigmentação.
            A tabela acima é só um resumo, o livro é bem completo e muito interessante. Uma ótima opção para sua biblioteca particular e uma excelente fonte de pesquisa.