Entenda o que é celulite

Vamos entender um pouquinho a tão temida celulite.
 
Existem outros termos pelos quais a celulite também é designada: (FEG) fibroedema gelóide, (PEFE) panicolopatia edmatofibroesclerótica, lipodistrofia localizada, mesenquimatose, lipoesclerose e paniculose, mas o termo celulite é o mais conhecido popularmente.
É uma afecção que atinge cerca de 95% das mulheres. A celulite pode ser definida como uma infiltração edematosa do tecido conjuntivo que ocorre devido ao aumento do tecido adiposo que leva a compressão dos vasos sanguíneos e linfáticos fazendo com que esses últimos tenham uma vasodilatação reflexa que causa um edema (inchaço) no local. Esse aumento de volume faz com que a pele fique semelhante a uma "casca de laranja", pois as fibras que estão na transversal cedem enquanto as pontes fibrosas que estão na longitudinal repuxam a pele para baixo.
Suas causas são multifatoriais, dentre os fatores estão: obesidade (a celulite pode resultar do acumulo de gordura constituído essencialmente por ácidos graxos saturados), distúrbios circulatórios (insuficiência venosa, varizes e edema linfático oferecem condições ótimas para o início do problema), estresse, fumo, sedentarismo, maus hábitos alimentares, desequilíbrios glandulares e embora a hereditariedade seja um fator de risco, não é predominante para o seu aparecimento.
As principais regiões afetadas são: coxas, abdome, glúteo e braços.
 
Estágios ou fases da celulite:
Grau I (fase de congestão): breve, puramente circulatória, com edema intersticial. Necessita de compressão da pele ou contração muscular voluntária para que possa ser percebida.
Grau II (fase de infiltração): dilatação dos vasos e consequente infiltração de eletrólitos. As irregularidades cutâneas tornam-se visíveis a mudança de posição.
Grau III (fase de reorganização fibrosa): fase de nódulos, ocorre perda do limite dermo-hipoderme, com início das depressões visíveis em qualquer posição corporal, "aspecto casca de laranja".
Garu IV (fase de esclerose): é a fase de difícil reversão, com presença de macronódulos com fibras colágenas espessas, importante déficit microcirculatório e menor nutrição tecidual, "casca de nozes".
 
Aspectos:
Dura (consistente): dura ao tato, localizada nas coxas e joelho.
Edematosa: viscosa ou pastosa, geralmente dolorosa, edemas e fragilidade capilar.
Flácida: tecido esponjoso e flácido, pode ser dolorosa ou não.
Mista: mistura dos aspectos anteriores.
 
Por enquanto é só, no próximo post venho falar sobre os tratamentos para a celulite.

Alegria

Olá meninas, só passei para dar um oi e desejar à vocês uma semana cheia de dedicação, superação e ALEGRIA.


 
 

O suco da beleza

Que tal uma bebida que além de dar aquela energia, ainda ajuda a deixar nossa pele mais firme e bonita?
A receita é muito simples:
Fonte: Mundo Verde
Suco de 2 laranjas;
1/2 cenoura;
1/4 de beterraba;
1 colher de chá de linhaça dourada;
bata tudo no liquidificador e sirva em seguida com duas pedrinhas de gelo.
 
Obs: Consuma logo após o preparo, para que não haja perda de nutrientes.
 
 


Argila e seus benefícios


A argila é formada a partir da decomposição do solo, ocasionada por reações físico-químicas do meio ambiente, que, ao longo dos séculos, acumula minerais, como ferro, silício, manganês, titânio, cobre, zinco, cálcio, fósforo, potássio, entre outros. As argilas são um silicato minimizado, ou silicato de alumínio e diversos oligoelementos. Entre os minerais encontrados se destaca o silício, segundo elemento mais abundante na natureza. Sua carência produz uma desestruturação do tecido conjuntivo, com sinais de envelhecimento. Por isso a argila é também utilizada para finalidades estéticas.

A argila possui três propriedades fundamentais:
Absorção: a principal propriedade que lhe atribui a propriedade da maleabilidade; quando se mistura argila com água obtém-se uma pasta eficaz no tratamento de inflamações, edemas e inchaços.
Liberação: a argila tem facilidade para liberar elementos que fazem parte de sua constituição (ativos), sendo muito importante pelo seu efeito protetor e absorvedor de toxinas em vários órgãos, principalmente a pele e mucosas.
Adsorção: um processo físico-químico pela qual as argilas deixam passar moléculas, elementos gasosos e partículas microscópicas do meio ambiente e bactérias com o intuito de deslizaram para o interior da pele. Esse poder é muito grande e quase irreversível, tornando-se assim, muito útil na fixação de toxinas presentes no organismo para uma posterior eliminação das mesmas.
Fonte de minerais: Rica em ferro, sódio, potássio e silício, a argila ganha importância nos tratamentos estéticos. O silício, por exemplo, estimula a microcirculação da pele, auxiliando no processo de eliminação das toxinas, além de devolver brilho e elasticidade.
Hidratante: A argila também é considerada um bom hidratante. Usada sob a forma de máscara, deixa a pele lisa e aumenta a retenção de água. Aplicada nos cabelos, absorve as impurezas e revigora os tecidos, agindo como um renovador do couro cabeludo.
Tipos de argila
Argila Verde: melhora a circulação sanguínea periférica, atenua manchas, combate cravos e espinhas, controla a oleosidade da pele e é desintoxicante facial, capilar e corporal. Promove a esfoliação da pele, combate edemas, nutre os tecidos e absorve toxinas. Bactericida e cicatrizante. Indicada para pele oleosa.
Argila Branca: é a mais suave de todas. Promove aumento na oxigenação de áreas congestionadas, a uniformização pela esfoliação suave e regula a queratinização. Clareia manchas, reduz rugas e sinais de expressão. Combate cravos e espinhas e é desintoxicante. Reduz inflamações, aumenta a elasticidade e purifica. Indicada para peles sensíveis.
Argila Amarela: tem efeito tensor e ativador da circulação. Combate e retarda o envelhecimento cutâneo, nutre a pele sem ressecá-la e elimina o excesso de oleosidade. Purifica, hidrata, reduz inflamações e aumenta a elasticidade da pele.
Argila Vermelha: age como secativo, regula a microcirculação cutânea e é recomendada para peles sensíveis. Usada para reduzir medidas. Hidrata e fortalece a pele. Elimina o estresse e retarda o envelhecimento.
Argila Cinza: reguladora da seborréia capilar, clareia manchas e firma bustos, nádegas, coxas e barriga. É esfoliante, combate cravos e espinhas e retarda o envelhecimento da pele. Elimina inchaço e oleosidade.
Argila Preta: excelente agente rejuvenescedor. Tem ação antiinflamatória e anti-stress. Desintoxicante e adstringente. Melhora a circulação sanguínea periférica, ameniza manchas, é adstringente e contribui para a renovação celular. Conhecida também como lama negra. É rara.

Dica da esteticista: Faça uma máscara de argila branca misturada com água thermal, deixe agir por 15 minutos e  retire com água mineral ou filtrada e passe protetor solar. Sua pele vai agradecer.

Pele x idade

Dos 20 aos 30

Nesta fase, a pele começa a perder colágeno e elastina, há uma alteração no nível de hidratação e podem aparecer também as temidas rugas e manchas. É importante manter uma rotina de cuidaddos diarios como: higienizar, tonificar, hidratar e proteger a pele com filtro solar.
Fazer uma esfoliação a cada 15 dias ou se necessário 1 x por semana.
Fazer limpeza de pele uma vez por mês.
Usar produtos que contenham em sua composição: antioxidantes, renovadores celulares e hidratantes.

Dos 30 aos 40

A pele está mais seca e sensível, aparecem os primeiros sinais de flacidez, rugas finas ao redor dos olhos, podem aparecer também sinais da exposição solar sem proteção.
Além dos cuidados básicos como: higienizar, tonificar, hidratar e proteger, produtos que conteham vitaminas, antioxidantes e ácidos devem ser usados com o objetivo de promover a renovação e a nutrição da pele.
Nesta fase também já podem ser agregados procedimentos médicos como: botox e preenchimento.

Dos 40 em diante

A pele se torna mais fina e sensível. A renovação celular diminui, há redução na secreção sebácea.
A menopausa traz uma série de alterações como: desidratação, pigmentação e redução na elasticidade da pele.
Como em todas as etapas anteriores, os cuidados diários são indispensáveis, principalmente os que tem função de hidratar nesta fase são muito importantes, mas os antirugas, renovadores celulares e antioxidantes também fazem parte do combo. 


PELE

Pele: Qual seu biotipo cutâneo?

Pele eudérmica (normal): Apresenta secreção sudorípara e sebácea equilibradas, coloração e textura normais, boa elasticidade, boa hidratação e óstios (poros) finos.

Pele alípica (seca): Espessura fina, opaca, pouca oleosidade, sensibildade ao contato com cosméticos abrasivos, poros pouco visíveis e tende ao aparecimento de linhas de expressão.

Pele lipídica (oleosa): Tem um aspecto brilhante, espessa, tende a lesões como, cravos, espinhas, e millium. Apresenta poros dilatados e hiperatividade da glândula sebácea.

Pele mista: Sua maior característica é apresentação de oleosidade e poros visíveis na região do nariz, testa e mento(zona T). Nas laterais da face apresenta-se normal ou seca.

Ao identificar o seu tipo de pele, procure sempre usar cosméticos correspondentes a ele.